A conversa é mole, mas o papo é firme.

segunda-feira, janeiro 28, 2008

60 anos - a entrevista - parte 5

ELA teve uma boa exposição global, lançando o Picnic no Rio, e esta cheio de indicações para fotos e matérias, embora para quem está atualizado, nada de muito novo no front, nas informações.

E pelo visto Ritz tem problema de apagão quando vai ao Rio. Primeiro um auto-apagão momentâneo, num show do ano passado, e agora de energia que cancelou um dos shows, parece que reposto. Melhor acender velas, que são ao menos uma luzinha no meio do apagão, né?

Mas isto é para quem procura o porque dos porquês:

Picnic pode ser definido com um passeio prazeroso, na qual come-se ao ar livre, de preferência em um local com uma bela paisagem. Picnics geralmente são reuniões familiares, mas também podem ser encontros íntimos a dois.Vem do francês Pique Nique, e o termo foi assim impresso pela primeira vez em 1692, e significava encontro em qualquer local, em que cada um levava um tanto de comestíveis para serem divididos pelos presentes.

Friends and family gather for a picnic in a public park in Columbus, Ohio, c. 1950


Amigos e família se reunem em um picnic em 1950

Capitche?

Mas vamos retornar ao nosso picnic que já estava em andamendo:

(bem...perdido por um, perdido por mil...resolvi perguntar abertamente sobre a ruiva...o máximo que poderia acontecer, seria o silêncio)


Você costuma ir na casa da Rita? Já foi na fase térrea?

Putz...teve até convite, mas fiquei meio assustada. Primeiro me disseram que uma das irmãs Baptista mora ali no cercado. Depois fiquei sabendo que ela recebe pessoas do meio. Pense comigo: ela convida Marisa Monte. MM, muuuuito distante de Marylin, resolve levar Arnaldo Antunes, que pode começar a recitar em tom cada vez mais grave, ninguém garante. E pode ser que mais a tira-colo ainda, apareça Carlinhos Brown. E isto é problema do Chico Buarque, não meu. Eu seria obrigada a aplicar a tribalística.
Pior ainda. Pode estar por lá Tonzé, que enviagradamente anda se arrastando pela ruiva. Imagine o véio nesta fase astronauta libertino, correndo pelado no gramado? Não sou cavalera, mas prefiro sepultura.

Voltando a um possível trabalho em disco. Acha que ela dá conta?

Vamos relembrar: a magrela está na terceira dentição da voz. Ela está com uma dentadura vocal. Lembre-se que operou de um nódulo na garganta, e partiu para a segunda chance. Quando quebrou a cara, literalmente, ficou ameaçada de nem conversar mais. Muita gente teria pendurado as cordas vocais, mas como boa cabra teimosa ela vai em frente, se queixando sempre da pouca voz, mas cheia de recados para dar.

Isso pode atrapalhar o desempenho?

Mas é claro que não. Para quem tem o que dizer, voz é o de menos. Que o digam Chico Buarque, Nando Reis, Bob Dylan, sem esquecer do Johnny Gilbert.
Ela já disse, e cá repito. É sempre bom lembrar que mulher pare. Do verbo parir, não parar. Sabe o que é fabricar tim-tim por tim-tim outro ser humano?
Ah o Caetano está com a mesma voz, o Sting, o Macca. Ora bolas. Gastaram algumas gotinhas na vida e é só.
Mas o problema não é esse. O problema é conseguir fazer com que se venda um disco, nesta altura do campeonato, ao menos para pagar os gastos de uma gravação. A não ser que ela resolva doar sua arte. Mas duvido, pois cabra tem o casco bem fechadinho.

Mas alguém com o nome dela tem problema em vender disco?

Em que planeta você andou? Para uma pessoa famosa vender um produto é pior ainda. Todo mundo baixa, assim que o primeiro disco está na loja e alguém já põe na rede em que Dorival Caymmi nenhum pode por defeito. Notou que quase ninguém fala mais em pirataria, no meio artístico? Quem vai ficar protestando, quando em casa todos tem conecções rapidíssimas, aparelhos dos mais sofisticados, para baixar filmes que nem passaram no cinema, discos que jamais chegaram por aqui, shows da noite passada? E isso principalmente por quem está no meio, que precisa estar informado, e agora sem gastar nada. Para reclamar da situação, tem que ser muito hipócrita. Está todo mundo gozando sem relaxar, pois se relaxar não baixa a última novidade.

(Mas vamos levando, enquando a mulé na estrila)

4 comentários:

Monegheta disse...

Hey Bartsch!
O smoking é exigência de Bárbara?

Pic Nic, Rita e Bob fizeram um em Fogo & Paixão, lembra? A Rita com um chapeuzinho de camponesa, leeenda.

RC este ano completa 50 de carreira e parte para um cruzeiro internacional.
Para fazer frente, Rita poderia lançar um álbum duplo com 39 inéditas e um cover de 'além do horizonte'. Pra arrasar com a Nara Takai e com a Fernanda Leão.

Tom Zé anda atrás dos métodos e técnicas de RC (o verdadeiro). Sem perigo. Po enquanto.

Conheci recentemente os trabalhos de Carlos Careqa e de Jica y Turcão, dos quais gostei muito. Tem parcerias com Mário Manga e Itamar Assumpção. E para colecionadores, em 'La Cucaracha', Jica y Turcão cantam os 2 versos iniciais de 2001. Rrrrecomeiiindo!

"Eu tô cansado da cidade
Eu quero ir pro mato
tem de tudo lá
porco galinha pato...
Juvenar Juvenar
Vem tirar o leite
São 6 horas da manhã
Juvenar Juvenar"

rubs disse...

Bart, fala sério, no final dessa entrevista vc traçou a farniente, né não????

ericidice total...

ela não perdoa ninguém...

dani lee disse...

o show que não aconteceu por causa do apagão, foi adiado para o dominho, dia 27.
eu fui em todos os shows que ela fez no canecao.... E ela ta do caralho !
linda, profissional, cehia de gás e atenciosa como só ela ...


dani lee

Monegheta disse...

A Império da casa Verde prestou uma homenagem à MPB no desfile de carnaval. No carro Tropicalista, estátua do CV e dOs Mutantes. Olha Ela na avenida :
http://carnaval.uol.com.br/2008/album/14_imp_casa_verde_album.jhtm