A conversa é mole, mas o papo é firme.

sexta-feira, setembro 22, 2006

Desengendrando o Rouxinol

Norma diz num comentário que o blog é um colírio pois não tem política.
Mas não tem jeito de escapar, e temos que falar um pouco da prática espúria. E vamos falar da pior coisa que o governo Lula nos fez. É imperdoável o acontecido e por incrível que pareça, ninguém protestou. Seria a índole pacífica do brasileiro? Balela.
Vamos botar a bôca no trombone, Bocato, vamos protestar, pois queremos de volta o que nos foi tomado. A maior violência do governo Lula contra nossos intelectos, corações e almas, foi a retirada repentina e violenta de Gilberto Gil do cenário musical.
É inaceitável esta situação. Pouco antes da eleição de 2002, Rita Lee e Gilberto Gil estavam acertando suas agendas para um novo projeto: Refestança 2.
Já estavam trocando letras e melodias, para um trabalho conjunto, turnê e disco. E viraria dvd, que hoje é praxe.
Pouco depois da eleição, Lula começou a montar seu ministério. Sondou Gil, que não aceitou de cara, mas êste vírus é inexorável. O discreto charme do poder. Ou como diz Heloísa Helena, o pudê.
Quando soube da notícia, Rita me escreveu muito triste, dizendo que o projeto havia subido no telhado.
E o pior é o fantasma da reeleição. Gil é dos poucos ministros que cumpriu todo o mandato, e é bem provável que continue, se o fato se consumar.
Outro dia Gil disse que não quer mais compor, que já cumpriu seu caminho. Mas deve ser uma crise passageira, de quem anda meio distante do amigo violão e muito perto do trono.
Então, meus caros eleitores, está em suas mãos a volta de Gil para o mundo da música. Já sabem o que fazer.
E fiquem atentos, pois Cristovão Buarque está subindo assustadoramente nas pesquisas. Enquanto os outros candidatos oscilam um ponto para cima, um para baixo, Cristovão detonou, simplesmente dobrando sua intenção de votos. Ele tinha 1% e passou para 2%.

Mas voltemos a Gil. Tem disco novo na praça. Quer dizer, gravado em 1999, mas saindo agora para o grande público. O disco foi gravado na época para acompanhar um livro feito sobre ele, "GiLuminoso: a po.ética do ser" de autoria de Bené Fonteles, de pequena tiragem.
O disco chama-se Gil Luminoso - violão e voz. E é assim. 15 músicas na grande maioria conhecidas, mas tocadas bem diferente das gravações originais. Escolhidas as 15 músicas, Gil as arranjava nos quartos de hotel em uma de suas turnês. Ele gravou cada música, em estúdio, duas ou trêz vezes, e depois escolheu-se as melhores versões. O disco foi gravado em 3 dias.
Nunca deu pra ficar tão íntimo e tão perto deste Gil agora tão distante. Exímio violonista, a voz como se estivesse ao nosso lado. O tom realista é melhorado ainda mais porque foram deixados pequenos êrros no violão, algumas vaciladas na voz. Perfeito, vivo, real.
Tem Preciso aprender a só ser, Aqui e agora, Copo vazio, Retiros espirituais, Tempo rei, Super-Homem - a canção. Da maneira como estão executadas, são verdadeiros mantras meditativos.
É como quando perdemos um ente querido, e vamos esvaziar suas gavetas, e encontramos anotações, a letra de mão, detalhes banais que nada significariam, mas que pela situação, nos trazem por um momento os que se foram para nosso lado.
No encarte do disco, uma frase de Caetano Veloso: "Gil crê em Deus. Eu creio nele".
Nostalgia. Nostalgil.
Caetano com disco novo, dando sempre um passo à frente. Rita prometendo que prepara a massa para loguinho ir ao fôrno. Até Mutantes prometem disco de inéditas.
Alguém poderia imaginar que nossos esperançosos gritos de Lula-lá dariam nisso tudo?

O título do post foi inspirado em uma música/mantra de Caetano, cuja letra é apenas: "Gil engendra em Gil rouxinol"

Há pouco tempo, Gil lançou um cd/dvd, Eletroakustico, tirado de um show. Muito bom, mas nada inédito. E fez uma música para a copa do mundo, que deve ter rodado conjuntamente.


5 comentários:

Fernanda Lee disse...

Lula não tirou apenas Gil do mapa mas junto deixou a certeza de que com o poder mudanças acontecem e no caso uma mudança imbecil e mesquinha, a mudança da alma.
Gil longe do violão o povo do pão e o Serra? ... ia ser tudo igual .. mas pelo menos o violão não teria ficado mudo ..
Lendo sobre os festivais dá uma saudade de um tempo que não vivi, aquele tempo que os jovens eram inteligentes ou simplesmente pensavam ... mostrando a que veio e hoje os "véios" tão ai ... muitos tão mais jovens ...

Não existe mais ditadura ... mas onde estão os tropicalistas? Fazendo batuques e ganhando honras!!!?? Não aproveitando a liberdade que era tão mais livre quando pensávamos ser presa ...
Os caras sofreram ... e agora??? Agora botam no trono e mandam descarga ...

Pera ai pera ai .. ainda existe Tom Zé, sempre vai existir Rita Lee ... Existe sempre uma esperança ... E mesmo sabendo que o pudê do sotaque não ira vencer queria ver ele lá (ela lá) ... Queria aquela loucura toda enfiando o dedo na cara de idiotas mas ... e se ficar tudo igual?? De novo não ..

Que saudade daquele tempo que não vivi, que parecia tão mais vivo mas espere ai ...

Sempre irá existir Rita Lee ..

Amém

Fernanda Lee
Refestança 2 já .. essa é a hora !!!

Norma Lima disse...

De malas prontas para ver a Pitonisa Rita Lee em Poços de Caldas, me deparo com o meu nome na primeira linha do seu blog, Bartsch. De fato, é difícil a gente não se indignar com a situação política brasileira. Eu que entrei na faculdade na década de 80, quando o movimento estudantil estava timidamente retornanado, vivi muito o clima de expectativa da primeira eleição direta para Presidente em 89, depois de décadas de ditadura. E hoje percebo um momento muito morno, não só entre os estudantes, mas na sociedade em geral.
Quando um sonho acaba começa outro, foi o que a Rita disse em uma entrevista. Vamos prosseguir no caminho, porque "depois da estrada, começa uma grande avenida. No fim da avenida, existe uma chance, uma sorte, uma nova saída".
É Bartsch... são coisas da vida!

Fábio Vizzoni disse...

Enquanto isso, no amazon.com...

http://www.amazon.com/Hoje-Primeiro-Dia-Resto-Vida/dp/B000EQIO3K/sr=1-2/qid=1158935002/ref=pd_bbs_2/104-3984039-1511124?ie=UTF8&s=music

Coisas que só um cartão de crédito internacional traz pra você!

rubinhow disse...

E Gil é assim...
do nada dá vontade de ouvir de novo! E o mais impressionante é que acabei de botar gil na vitrola cantando baião e vim para o pc para me deparar com esse texto!!!...

são os astros...

abs bart...

maguila disse...

A quadrilha do Palocci, ta junto com o Maggioni..e o Gaspa ta sem verba...e as praças abandonadas.... e o Caetano ta longe do Gil...e a Zélia...tá "o bicho nos mutantes" e o Sééérgio Diaaaaasss, casou ontem em "Paris"..e o Arnaldo no café d'amanhã junto da margosa