A conversa é mole, mas o papo é firme.

quarta-feira, dezembro 26, 2007

Elees Tinha

Muitíssimo obrigado pelos votos que aqui apareceram, nos e-mails e em vários outros locais, e no fundo o legal é estarmos sempre por aí enchendo a picuinha alheia e nos divertindo di grátis. Que sejamos todos felizes nesta parte do ano e no que vem por aí, na virada.

Dêem um olha no www.gruponos.com.br , que tem a mensagem do NÓS, tio Bart incluso, e também umas músicas da banda para vocês conhecerem.

Mas como em toda boa partida de futebol, os comentários finais:

Chegando ao final a série "Que rock é esse", em que o Beto Lee foi um bom leitor de teleprompter, o duro foi agüentar o Capital Inicial falando do passado, usando o tempo presente, sabe? "Então a gente grava o disco e vai para as paradas. Daí o Dinho sacaneia todos nós, nos larga na mão e tenta uma carreira solo. A carreira solo não decola, a gente também se ferra tentando outro vocalista, e voltamos todos correndo para onde não devíamos ter saído", tipo assim, entendje?...e sempre lembrando que eles não "dizem" jamais a declaração acima...

Roberto Carlos está quase no ponto de se tornar o terceiro Xitãozinho/Chororó, e também só consegue ficar ligado no monitor com o texto que ele "improvisa descontraidamente". Mas sempre fica aquela torcida de que um dia ele vai fazer um lance legal.

Um amigo do jornal A Cidade aqui de Ribeirão pediu um colaboração para aquelas listas de dicas culturais para ajudar o povo a gastar no fim de ano. Avisei que a lista não iria caber, pois tinha que justificar o porque da indicação. Ele disse que não tinha problema, e de sacanagem, mais ou menos, mandei bala e mesmo assim muuuita coisa ficou de fora. Vai o texto:

Dvds:
The Who - The amazing journey (conta a trajetória da banda com muitas imagens de época e depoimentos dos que sobraram vivos, além dos parentes dos que se foram. No dvd 2 é imperdível a sessão de gravação de uma música com discussões de arranjos e coisas mais, além da presença do filho do Ringo na bateria e de Greg Lake do Emerson, Lake & Palmer gordíssimo no baixo).
Paul McCartney - The Mccartney Years (3 dvds, sendo dois de clips e um de apresentações ao vivo. Valem os comentários elucidativos nos clips, e dá até para aprender algumas músicas exatamente como o Macca as toca no violão. Imagens todas restauradas, som divino. O sonho de qualquer fã ou para quem quer ver como se coloca 40 anos de carreira em 3 disquinhos)
Queen - Rock Montreal ( tem versão simples e dupla. Na dupla tem o show do Live Aid, considerada por muitos como a maior performance ao vivo de todos os tempos. Vai ser duro todo mundo concordar com isso, mas vale conferir. Tia Mercury está com a corda toda, e a franga corre soltinha no palco. O auge do Queen)
Rita Lee - Biografitti (saiu faz um tempo, mas o preço bom só saiu agora. 3 dvds imperdíveis com shows e conversas dela e dos que a cercam. Vale assistir brindando os 60 anos que ela completa dia 31 de dezembro. Mas de preferência com refrigerante, pois ela não pode tomar bebidas alcoólicas)
Acusticos MTV Lobão e Paulinho da Viola (apesar do formato ter abrigado até Sandy & Júnior, que descansem em paz, e logicamente são dois dvds separados, Lobobão refina sua arte e da Viola mostra que também é do violino, do violoncelo, etc.)
NIrvana - Unplugged in New York (com o som muito melhor e mais músicas do que quando saiu em vhs. É o testamento e a lápide de Cobain)
Caetano Veloso - Cê (para quem não viu o show despojado, onde o trio mezzo roquenrou toca músicas de diversas fases do velho baiano)
Livros:
Eric Clapton - a auto-biografia (boa pedida no quesito mentiras sinceras me interessam, com Slowhand escancarando os bons e maus momentos. A gente fica imaginando o que ficou de fora. Mas tudo por uma boa causa, pois o bluseiro faz de tudo para manter a fundação Crossroads, para reabilitar drogados contumazes como ele o foi um dia)
Lawrence Wright - O vulto das torres - (uma bela pesquisa histórica recente, que relata como os USA criam e financiam Sadam e Bin Laden e depois choram pelas torres derramadas)
Philip Roth - Homem Comum (Belo relato nú e crú sobre a velhice. Uma frase do livro resume tudo "A velhice não é uma batalha, é um massacre". Mas é muito poético)
Fernanda Young - Tudo que você não soube (La young entre uma sitcom e outra manda o pau nos pais da personagem narradora. Resta saber se é auto-biográfico. Se o for, tadinhos dos pais dela)
Ian McEwan - Na praia (o escritor inglês sabe montar uma bela história de encontros e desencontros que jamais acreditaríamos que pudesse acontecer. Mas na escrita dele, vira verdade)
Herica Marmo - A canção do mago (relata a fase musical de Paulo Coelho, e que é o verdadeiro Caminho de Compostela que o escritor seguiu para ser o que é agora. Está havendo muita polêmica, pois Raulístas e Paulistas estão mostrando que se odeiam tanto quanto ou mais que Rita e os Mutantes)
Nelson Mota - Vale Tudo (Apesar de ter ficado meio Tim Mota, vale mais uma história da nossa música, que tem poucos relatos biográficos. A vida de Tim deve ter sido muito mais sofrida do que aqui se apresenta festeiramente)
Christopher Hitchens - deus não é grande (este é de coçar a cabeça. O texto tenta provar o mal que a religião faz. Não deve mudar lá muito a opinião de ninguém, mas é intrigante)
CDs:
Joni Mitchell - Shine (A canadense ficou dez anos afastada totalmente da música, achando que esse tipo de expressão não lhe dizia mais nada. Mas arrependida e pedindo pra voltar, fez um belo disco)
David Gilmour - On an island ( Um ótimo disco do Pink Floyd que o Floyd não gravou. É o que dá Gilmour arrumar namorada nova. Valem também os vocais de David Crosby e Graham Nash)
Série de Jazz da Falha, que está saindo nas bancas - (Vale cada milímetro de plástico preto, que imita os velhos vinis. É fácil de ver como foram mamados e reinventados, os velhos mestres)
Cantoras Nacionais - (muitos discos, no surgimento de um novo samba - Roberta Sá, Céu, Mariana Aydar, Katia B. nem tão samba e nem tão nova, e se o Pato Fú imitava os Mutantes, Fernanda Takai fez o seu Bossa'n'roll, numa homenagem a Nara Leão)

Mas o que saiu, foi o seguinte:

http://www.jornalacidade.com.br/noticias/62474/jingle-bell-cultural.html

E que cada um julgue à sua maneira: Às vezes o que fica de fora é mais interessante do que o que entrou...

8 comentários:

Monegheta disse...

Pô Bartsch, para publicar essa lista seria necessário um encarte. Mas está beleza. Lucro total, pois não leio esse jornal e ainda tive acesso a lista na íntegra. Nada melhor do que não fazer nada só pra deitar e rolar no Blog do Bartsch!!
E que site bacana o do Grupo Nós. Entrei, bisbilhotei, encontrei o que queria (hehehehe) e deixei um recado elogiando a arrumação da casa. Mais uma vez, parabéns!
Não ouvi aquela canção do Roberto no especial de Natal deste ano, mas creio em tudo o que vc falou sobre.
2001 beijos pra vc!

Normitz disse...

Esperemos que na lista de 008 haja, como recomendação, o novo cd da Ritinha... enquanto ele não chega, a gente compra o Perfil mesmo, hahaha

dani lee disse...

a melhor coisa que aconteceu esse ano foi o biograffiti....

trabalhos novos da rita são sempre os melhores acontecimentos hehe

luzes...


dani lee

Monegheta disse...

Hey!
Ela merece todas as homenagens do mundo. Segue a dica de um novo blog:
Viva Rita!
http://mundodemih.blogspot.com/2007/12/viva-rita.html

Viva!

Fernanda disse...

êta êta êta ..
qualquer dia o rei acerta .. eheheheh..

mas que acerta com magnitude é dona ruiva de sampa .. no dvd .. e como disse a norma espero muitoooo um cd novo nesse ano .. shows pertinhos e coisas boas pra ela ..

coisas boas pra todossssss

bjão
fetz

rubinhow disse...

Bart,
apesar da demora, Happy New Year, boy...

lembrando que doismilioito tem um infinito de pé e outro deitado...
que seja um ano infinitamente de paz, então...

bixo, to trampando de assessoria de imprensa no SESC aqui de Pira... e em fevereiro já darei assistência ao senhor ministro da Cultura que pisará por aqui pra fazer show... crê?

CV foi aí, GG vem pra cá...
hohoho

abs
e viva a edição dos jornalistas que são CRUÉÉÉISSS...

Monegheta disse...

Eu vou começar a observar em que fase da lua Batsch some.

Monegheta disse...

Socializando informações:
1968 - O ano que se recusa a terminar, é o título do livro de Zuenir Ventura lançará este ano (Caderno Cultura, Zero Hora 05.01.08). O livro destacará o que de mais importante aconteceu 'no ano que se recusa a terminar', como o sucesso de um tal de Os Mutantes, além de uns baianos; tb trará uma seleção de verbetes.

E esta dica é para quem fica em PoA:Durante os meses de janeiro e fevereiro, o Santander Cultural terá programação especial de segunda até sexta-feira. Nas terças, sempre show, cinema e debates sobre.
Dia 22, 18h,rock: show com Dado Villa Lobos e Nenung (Os The Darma Lovers); 19h, filmes: MUTANTES e Podecrer!, seguido de debate com a radialista Kátia Suman.
Programação: www.santandercultural.com.br