A conversa é mole, mas o papo é firme.

terça-feira, março 13, 2007

O desespêro global

Como muita gente sabe, em 1929 houve a quebra da bolsa de Nova Iorque. Por políticas várias e duvidosas, as pessoas simples, e as poderosas também, foram induzidas a acreditar que bolsa de valores era um grande negócio, que todo dinheiro que você colocasse teria um ganho maior do que em qualquer outro lugar.

Mas o negócio de ações é mais enganoso do que qualquer político. Brinca-se com papéis, supondo, como também acontece nos bancos, que quando você precisar, o papel vira dinheiro na hora.
A verdade é que sempre circula muito mais papel do que dinheiro. Resumidamente, da noite para o dia viu-se realmente que todos os lucros eram muito mais viajantes do que qualquer ácido lisérgico, que nem existia na época.
O resultado é que em consequência disso, os USA quebraram de cabo a rabo, onde todo mundo acabou levando no referido, da noite para o dia.

Muita gente, que perdeu tudo o que tinha, se jogava de prédios ou outras formas de acabar de vez com as dívidas que contraiu.
O país virou aquele bando de mal trapilhos procurando qualquer emprego que fosse, para ganhar uns trocados. Viagens só de carona, ou pendurado clandestinamente em trens de carga.

Não é de hoje que a mídia gosta de se aproveitar da miséria alheia, e como o forte na época era o rádio, pois meus novinhos, de tv nem tinha projeto, as anomalias eram mais ouvidas do que vistas.
Dentre toda a calhordice que existia, as rádios produziam concursos de dança.
Você formava um casal, se inscrevia, e depois com um número nas costas, iam todos para um salão para a prova.

E era o seguinte: vencia o casal que ficasse dançando até o final, com a desistência dos outros, mesmo que durasse dias, sem intervalos.
Enquanto isso, o locutor, por falta de imagens, ia descrevendo cada casal, contando de suas vidas, falando dos preferidos, seus dramas, etc. Como a regra era não parar de dançar, a prova era cheia de truques, com um casal tentando derrubar o outro, um dos pares dando cochiladas, enquanto o outro disfarçava e o carregava, e assim a coisa ia.

Há um filme que mostra uma história destas, e se chama "A noite dos desesperados" (They kill horses, don't they?), que eu acho que não existe em dvd, infelizmente.
É com Jane Fonda, e ela é uma das participantes destes concursos. Daí o filme se desenrola, com dramas pessoais, pois as pessoas se sujeitam a várias baixarias porque precisam daquele dinheiro do prêmio.

Como a maioria não vai ter como assistir, depois de vários percalsos, a personagem de Jane não me lembro se perde ou se não tem mais chances de ganhar, pede ao parceiro que a sacrifique. E o cara dá um tiro na cabeça dela. Daí o título original "Eles matam cavalos, não é mesmo?". É a metáfora de que todos eram tratados como animais. Todo mundo sabe, de filmes também, que quando um cavalo quebra a perna, é sacrificado.

O filme é forte e mostra o que o desespero faz com a dignidade das pessoas, principalmente quando manipuladas por pessoas inescrupulosas e enganadas por uma promessa de algo que as tire da situação em que se encontram.

O porque de tudo isso? Oras, nesta semana entraram pela tv, na maioria dos lares do quintal do Bush, as imagens de várias pessoas enjauladas, para passarem fome, desconforto, sol escaldante e sabe-se lá quais consequências, para ganharem uma prova qualquer. E numa situação que poderia ser resolvida em um par ou ímpar, que não alteraria em nada o andar do santo.
Ainda bem que a direção do programa não assistiu ao filme, senão eles iriam sugerir que um dos personagens finais desse um tiro na cabeça do outro. Isto é que é dignidade, em busca de alguns pontos de audiência.

3 comentários:

Normitz Mix disse...

Bart querido, adorei o post por tratar de um lado da sociedade americana que os filmes da sessão da tarde televisiva não costumam mostrar... será que neguinho ainda acha que em certas culturas é tudo cor de rosa? Os EUA, hoje, têm população miserável, França idem, por aí vai...
Beijos!

fernanda lee disse...

já que bush visitou a terrinha , poderiam ter levado o babaca no big brother .. está ai uma bela combinação de porcarias que elevaria a audiência ... affff .

... Rita já deu uma idéia ótima sobre colocarem os candidatos a presidência numa casinha daquelas ... outra proposta interessante seria enclausurarem pessoas que passam por necessidades .. pelo menos enquanto estivessem lá dentro não passariam por tais e ainda poderiam ganhar uma grana .. né ..

..enfim .. de todo jeito que pensar vira só baraco ... rsrsrsr

bjux
fefetz

Veronica disse...

Todo mundo acha q ta no desespero...todo mundo acha-se merecedor de um premio...todo mundo é coitado o suficiente pra perder sua dignidade por esmolas...