A conversa é mole, mas o papo é firme.

terça-feira, fevereiro 06, 2007

Itamar Assumpção

Muito se fala de Itamar Assumpção, mas pouco se conhece. Então vai aí uma oportunidade de ouvir e também ver o Nego Dito em ação, com a Banda Isca de Polícia. Faz parte de um show de 1983, em Brasília. Itamar tinha lançado dois discos, e quanto o ví no Lira Paulistana, foi praticamente nesta época.

A TV Cultura até que é bem intencionada, mas este programa passou no dia 01 de janeiro para o dia 02, à uma e trinta da madrugada. Perfeito para grandes audiências, depois de toda a ressaca de final de ano. Lembrando que era de segunda para terça, primeiro dia útil do ano.

Esta primeira música, Noite de Terror, é dada como composição de Itamar, mas não é. Foi gravada por Roberto Carlos, na Jovem Guarda, e é de Getúlio Cortes. Existe uma grande predileção tanto de Itamar quanto de Luiz Melodia por músicas da Jovem Guarda que não foram grandes hits. Para quem não gosta de Jovem Guarda, é uma boa maneira de se ver que é tudo uma questão de leitura. Qualquer obra de arte se beneficia muito com a leitura que cada indivíduo faz dela. Pode-se banalizar uma obra prima, ou achar muitas pérolas em pleno chiqueiro.

Itamar Assumpção - Noite de Terror


Nesta a autoria esta correta, é muito bom de ver o trabalho da Isca de Polícia. Dizia-se que Itamar e banda ensaiavam vinte horas por dia, dando só uma cochilada ou comento um pouco, e voltando aos instrumentos. Manter este nível de arranjos não é mesmo fácil, além de ser totalmente inovador.

Itamar Assumpção - Embalos


Esta tem o nome errado. É "Não vou ficar", música de Tim Maia que Roberto colocou nas paradas. Mais uma oportunidade para ver como fica a Jovem Guarda recriada.

Itamar Assumpção - Não vou ficar

6 comentários:

Normitz Leema disse...

Bart, que belo post, adoro batalhar pela memória cultural deste Brasil de amnésia, que não valoriza seu ouro.
As homenagens aos nossos artistas têm que ser feitas em vida, mas por aqui eles matam e depois erguem estátua pros pombos fazerem a festa.
Itamar Assumpção é caso de assassinato cultural, mais um. Não foi o primeiro e nem será último.
Bem que tentaram acabar com ELA também, mas pelo menos isso eles não conseguiram. Essa gente burra, insensível... para eles o Mário Quintana escreveu: "Eles passaram e eu passarinho". Gente sem visão, que tem inveja do talento que Papai do Céu não lhes deu, muito bem representada também com Manuel Bandeira, no "Poema do beco"
"Que importa a paisagem, a Glória, a baía, a linha do horizonte?
— O que eu vejo é o beco"
Saca, Bart, a gentalha pode estar diante de uma bela paisagem (Rita Lee), mas sua mesquinhez fará com que eles só vejam o beco.
Bjs.

Normitz Leema disse...

O verso correto do Quintaninha lindo é "Eles passarão e eu passarinho".
Eta português chatinho.
Ass.: Norma Culta

rubinhow disse...

o youtube é bom,
mas queria isso em dvd
deve ter pelo cultura marcas...
vou procurar!!!

O que também um dia eu vi na emetevê de madrugada, e nunca mais, foi o clipe de "Porque que eu não pensei nisso antes" que tinha a tia como protagonista...

deixei de gravar e nunca mais vi
buááááááá

algum fã mais respeitado que eu poderia disponibilizar via youtube!!!

Denise disse...

Ah, pena que não consegui ver os vídeos aqui... Mas, salve Itamar! Injustiçado e assassinado Itamar! Gênio Nego Dito e Bendito Itamar! Infelizmente ele não é amado por todos ou por muitos, mas, e daí? Ele tirou muita coisa de letra inventando outra gramática, saca? Ele é phoda!

Bem, quanto as releituras da Jovem Guarda, acho que é o que há. Penso a jovem Guarda assim como penso a Legião Urbana: quando alguém regrava, fica muito bom, agora, ouvir essa banda tocar é insuportável.
Gosto das releituras, são válidas e muitas músicas ganham vida. Um grande exemplo é "Negro Gato" e até mesmo "Preciso urgentemente encontrar um amigo" que os Mutas a fizeram graciosmente... Enfim...

Beijo!

PS. um beijo especial para Nego Dito!

Dani Lee disse...

O Brasil está esquecendo as boas vozes....O que foi que aconteceu com a música popular brasileira????????
Será que a gente ainda lembra o nome de todas as boas vozes???

Concordo com minha irma postiça, a Norma (uma longa história, mas a minha mamãe natureza a adotou rs), depois que morrem fazem estátuas, especiais de televisão etc.
Mas isso não 'adianta', temos que homenagear em quanto vivo, depois que morre fica apenas uma vaga lembrança e pronto.

VIVA A RITA LEE E POR FALAR E, RITA....ESTOU COM SAUDADES DELAAAAAAAAAAAAAAAAAAA.


beijos telepáticos.

Dani Lee

fernanda lee disse...

Itamar foi a figura da cultura sem abobrinhas, é o que há de melhor na música de todos os tempos ..

...sempre atual, sempre com uma criatividade aguçada e certeira ..

... Itamar é simplesmente Itamar e eu o amo por isso ..

salve grande mestre ..

bjo
fefetz

“São Paulo tem Rita Lee .. ha ha ha ...