A conversa é mole, mas o papo é firme.

sábado, janeiro 13, 2007

O pão amassado pela demo

O ano era 1982. Os Mutantes tinham acabado de vez, mesmo na versão Sérgio Dias. Ritz estava a pleno vapor em sua carreira solo.
Não se ouvia uma música dos Mutantes em lugar algum, e assim achamos que seria legal regravar uma música que fazíamos em nossos shows, que era Panis et Circensis.

O NÓS, como todo bom grupo independente, precisa bancar suas gravações, a prensagem dos discos, e depois sair batalhando na divulgação.
Para resumir uma longa história, gravamos 14 músicas, para um álbum chamado "Onde esta meu rock?", e tivemos grana para lançar um compacto, que era um vinil um pouco maior que um cd, meus novinhos. Duas músicas no compacto, e o plano era juntar grana para depois soltar o disco completo. Acabou sendo o "disco perdido" do NÓS, sumiram as fitas originais, e por aí vai.
Depois de achada uma fita k-7 (se algum novinho não souber o que é isso, pergunte...aos pais, claro) com as músicas que não haviam saído em disco, e em 2006 conseguimos refazer o disco completo, remasterizar, e deixar com um som razoável. Encontra-se em www.gruponos.com.br

Depois que tínhamos gravado Panis, o Boca Livre, um Roupa Nova com mais vaselina pós-MPB 4, especializado em arranjos vocais, etc., gravou esta música. E bem depois a Marisa aos Montes também o fez. E Ritz toca nos shows, e os New Miutantes tocam nos shows, e todo mundo conhece. Mas naquela época, ela estava esquecidinha.

Então aí vai a versão reggae, também muito antes da "onda reggae" que assolou o país, pois lembrem que a gravação é de 1982. Era um reggae no estilo de Harry Belafonte, que gravou Banana Boat Song. Continuem perguntando aos pais.

A grande coincidência, é que Ritz adorava bundar lá pela Jamaica na época da gravação. Sincronicidade total. Imaginem a cena, com esta trilha sonora. O som é de uma fita k-7, mas ninguém reclamou da qualidade do vídeo da Cicarelli, portanto...

O Mini-Moog utilizado foi dos Mutantes, e ainda mora por aqui em Ribeirão. Não sei se foi neste synth que Ritz gravou Mande um abraço pra velha, a ultima música da formação clássica, mas pode até ser.

Link para ouvir a música - Panis et Circensis

Participaram da gravação:

Henrique Bartsch: Fender Rhodes, Organ, Mini Moog, backing vocals
Johnny Oliveira : Baixo, backing vocals
Bateria: Eduardo Tarlá, backing vocals
Zé Cláudio: Sax, flautas, backing vocals
Hélcio: Voz, sax
Gera: Percussão

7 comentários:

Edna disse...

olá Bart.. eu de novo..

desculpe, lembra bem o boca livre.. ficou legauzinho [com u]..

lembro de uma entrevista da Ritz acho que na mtv e que o mundo deve ter gravado, óbvio, que ela contou que um amigo de um dos filhos estava de visita por lá e perguntou a ela se havia gravado uma música da marisa aos montes...

aqui estou eu feliz da vida pq meu micro travou depois de ter digitado metade de uma pesquisa no excel.. perdi tudo.. que fazer numa hora dessas? fuçar em blogs alheios pra não perder o bom humor.. brigadão..

gostei da música..

beijão!

fernanda lee disse...

... depois de um fds sem poder bundar por aqui .. eis que bundo e digo que a-do-rei ..

Rita contou uma vez .. no especial 3001 .. que um dos amigos do Beto ouviu ela cantar Panis e mandou : Pô tia .. tá cantando música da Marisa Monte ... !!!! ahahahahahh imagina ..

...eu amo essa musica ...


"e começa a contagem regressiva para Ritz in Rio .. São Sebastião que nós proteja .. eheheheheh"


beijos e boa semana a todos ..
fefetz

crá crá crá crá ...

Moni disse...

Bart,
Há controvérsias em relação a "ninguém escutava Mutantes em 82". Eu conheci Mutantes através de uma coletânea da Rita (Gala 79), em 1980. O período que mais escutei Mutantes foi a década de 80. E digo mais: as rádios locais SEMPRE tocaram Mutantes, embora na década de 80 apenas algumas mais "Lado B".
Tb nesta década, surgiu por aqui a banda "Arnaldos", que está na ativa até hoje, tem CD lançado e tudo mais. Prestam uma homenagem aos Mutantes, fazem cover e tb apresentam composições próprias com temas em torno da banda.
Nesta década tb andei muito atrás do compacto O'Seis, que literatura especializada remetia à PoA uma distribuição em massa. Nunca encontrei alguém que soubesse disso. Mas consegui o compacto.
Valeu.
Bjs

bart disse...

Pôxa, Edna. Como gravamos antes, vc poderia ter dito que a do BL é que nos lembrou, ehehe.

Mas levar pau em computo e perder o trampo, é renascer em Cristo. Ai é que vemos se já estamos preparados para adentrar os portais divinos. O desapego ao materialismo do tempo perdido. Mas ao menos que se mantenha a calma e não se atire coisas ao léu.
Os sábios dizem que por isso que é bom não ter discussões em celulares.

Aproveitando o gancho de Fernandinha, Moni, eu não disse que ninguém ouvia Mutas, mas sim que não tocava em lugar algum, ou seja, meios de comunicação de massa, ao menos em meus arredores, ou seja Ribeirão, interior de Sampa, um pouco de Minas. E é lógico que isto é válido para 81/82, já que em 83 saiu a versão do Boca Livre, e logo após da Marisa aos Montes, e todo mundo ouviu e todo mundo pensou que era inédita e deles.
E se POA sempre tocou Mutas nas rádios, nós vamos invadir sua praia, pois aí é o Paradiso.
Aguarde-nos, e este blog é sempre precisamente impreciso, você vai notar, senão não teria graça.

Malukéte Mor disse...

Chefe Bart,
o que eu mais gosto no teu blog é justamente da imprecisão das informações, pois nisso ele é muito fiel à biografia da Ritz.
Aqui o ritmo é o da sua memória, como o ritmo da bio foi o da memória dela, ou seja, não o fidedigno (e isso existe?) mas o que vocês consideram importante de ser dito. E bem dito bendito.

Parabéns pra você/nesta data querida/lá em Copa o palco já tá arrumado/pra gente ver nossa RITA.

rubinhow disse...

É Bartz! a velha história que vc sempre me diz... nunca gravar uma música sem que algo, pelo menos alguma coisinha, esteja mudada!!! Adorei a versão, agora quero em MPB-4, quer dizer, em MP3 pra constar nos anais dos arquivos delicious ritaleecious...

;)

Denise disse...

Muito boa, muito boa essa regravação!!! Lembra mesmo um pouquinho o Boca Livre, mas a energia da versão de vcs é muito melhor, assim essencialmente falando. Parabéns! Muito legal! E viva os Mutantes eternamente... talvez esquecidos por alguns mas, intensamente vivos nos nossos corações!!!

Beijo!