A conversa é mole, mas o papo é firme.

quinta-feira, janeiro 25, 2007

Concertando o que não está quebrado

Na seqüencia da continuação do assunto que começou lá nos Prazeres Proibidos, e que depois pegou uma bifurcação no prazer por filmes esquisitos, e que desembocou em Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças, vamos ao que interessa.

Agora chego ao artigo que me instigou a este encadeamento. Saiu na Falha no dia 16/01/07, e o título é "Estudo revela base química de 'droga do esquecimento'".
Quando vi esta notícia lembrei da trama do filme, em que uma firma promete apagar de nossos cérebros as lembranças que não interessam, e logicamente o filme acaba sendo citado no artigo. O que era pura viagem do roteirista ameaça virar realidade.

Cientistas do Rio Grande do Sul começaram a investigar algumas proteínas que são ligadas à manutenção da memória. Logicamente acabou sobrando para alguns ratinhos que sempre acabam levando choques ou pisando em chapas quentes se não obedeceram às ordens dos tais cientistas.

Daí passamos a navegar nas ondas traiçoeiras da neuro-ciência. Os cientistas descobrem os processos e as moléculas envolvidas para, no caso, apagar memórias, e a indústria farmacêutica cria as drogas para fazer esta ação. Os tais cientistas dizem que conseguiram progressos com os pobres ratinhos, e acreditam que de 20 a 25 anos teremos drogas capazes de modificar seletivamente nossas lembranças. E ainda predizem que uma droga dessas vai vender mais que Prozac e Viagra juntos.
A indústria farmacêutica não deve estar dormindo desde o dia que leu este artigo.
Para vender a idéia, dizem que o medicamento serviria para casos de estresses pós-traumáticos, de soldados e vítimas de violência urbana. Mas eu acho que serviria para os Pinochet da vida, para os Maluf. Roubam, matam, tomam um comprimido e vão dormir em paz.

Mas agora vamos falar sério, um pouquinho. A grande caminhada da vida é exatamente o acúmulo de situações que vivenciamos, com todos os erros e acêrtos que cometemos, e que fazem com que nossa caminhada seja unica. Imaginem esquecer nossos amados só porque sofremos ao perdê-los. Esquecermos um erro que irá nos mostrar como proceder melhor.
E se você quer esquecer uma coisa, toma a dose errada e esquece outra? Acho que naturalmente já temos este mecanismo de esquecer coisas que não nos fazem bem, como por exemplo não lembrar em quem votamos nas eleições passadas, ou que devíamos uma certa quantia a alguém.

Ou será que estes cientistas esqueceram que a humanidade tem uma história devido às suas lembranças, memórias e tradições? É por isso que refletimos. Refletir é exatamente isso, espelhar-se. Se não temos em que nos basear, sempre estaremos próximos à barbárie.

O melhor seria que os pesquisadores tomassem as amostras que deram aos ratinhos para que esqueçam de vez uma idiotice destas. Se não logo logo estaremos comprando Alzheimmer em cápsulas. Vai se tomar algo para esquecer os pecados, e não precisa mais ir na Renascer, no Edir, e assim ninguém mais vai contribuir para a sacolinha. O que vai acontecer com o "eu bebo para esquecer?". O assunto é vasto.

Mas ainda tem mais um capítulo, pois a ciência nunca fica longe da religião.

E não se esqueçam: hoje é aniversário de Sampa e tem Mutas às margens do Ipiranga. Quem for, depois conta.

10 comentários:

Daniel Vieira disse...

Ah uaha pra que tudo isso? Algo que faça esquecer.. naum dá.. uai.. mas vesquece e nunca mais se lembra?Ou é um rapido esquecimento ..?


Ah pra que isos.. é so tomar Maracugina.. quando a vaca ir pro brejo...(e olha q naum ganho nada pra fazer propaganda do tal sedativo, qe por sinal ontem dei ao meu cachorro)

Ah show dos mutas.. quero ir vou ver se dá.. aqui .. qualquer coisa Bart... conto-lhe


bye bye

fernanda lee disse...

"Eu que não quero é esquecer de nada" .. já sou desligada e esquecida de natureza se tomar alguma coisinha é bem provável que não dará certo .. ou será certo demais e ai é que fica perigoso ..

Existe uma coisa chamada consciência e é ali que vão parar todas as coisas a serem filtradas ,, as coisas boas vão parar na caixinha da alma e é lá que está tudo de bom-bom conquistado até hj ..

E minhas lembranças vão bem obrigada ...

Hoje é niver da terra da garoa ... viva Santa Rita de Sampa que é a Padroeira da cidade ..

bjo grande
fefetz

Daniel Vieira disse...

é esqueci de fazer um Viva a Santa Rita de Sampa, a padroeira linda desta cidade linda...


e pra terra da garoa.. aqui esta chovendo.. aqui em casa.. e ai na sua?

ahauha


Na dELA eu aposto que tá..

Eshow dos mutas.. não sei to aqui tentando ve se vo ou naum

Fe Lee vc vai?

Veronica disse...

O futuro da medo...como será q vai acontecer qd as maioria das doencas tiverem erradicadas...o q vao fazer com os velinhus...vao tirar eles da tomada qd atingirem uma certa idade?...aiaiai...ou vao tranferir suas mentes para um corpo novo...

Betha Medeirix disse...

Bart, percebi que gostamos, praticamente, dos mesmos esquisitos!
Eu, ao contrário da Santa Rita, adoro Cidadão 'Orson' Kane e seus filmes esquisitos. A cena final (dos espelhos) de Dama de Shangai com a Rita Haywarth aloirada é genial!
"Brilho eterno" é muito bom. Acho o melhor filme do Jim Carrey, sem dúvidas!
Um outro filme 'parecido' é "O efeito borboleta'. No DVD tem um 'finais alternativos' mais interessante.
Os filmes 'esquisitos' são os que nos fazem preencher lacunas deixadas pelos autores. Pra algumas pessoas, claro.
Outras, saem furiosas do cinema por não terem entendido nada!! haha
Eu prefiro os esquisitões aos considerados 'bela história' que vem mastigadinha de fábrica e que não nos fazem pensar e construir nossas próprias estórias.
Aqui no Brasix Muamba tivemos uns arremedos de filme esquisito com 'Amores Possíveis' com o chatonildo e matador de veados Murilo Benício. O filme tinha uma história que era construída com 3 versões diferentes. Idéia boa, mas...

Lembras de Carlos Saura nos áureos tempos de 'Cria Cuervos'?? Muitas pessoas da minha geração amam uma musiquinha 'açucarada' que foi regravada pelo maravilhoso Pato Fu chamada 'Porque te vás'!

Viva Sampa! Viva a nossa Santa Rita de Sampa!

Leandro Vallim disse...

Esqueci o que eu ia comentar nesse tópico.... (?)
(?)
esqueci
fodeu!

Dani Lee disse...

Eu e minha mente somos um caso sério, mas não ao som de um bolero ;)
A música ''ANDO MEIO DESLIGADO'' é a minha cara, mas combinaria melhor se fosse ''ANDO TOTALMENTE DESLIGADO''. O que importa mesmo é que tenhamos lembranças, boas ou ruins, não importa.
As lembranças são como aprendizados e quando olhamos para tráz, mesmo as mais dolorosas, são lindas.....(now...ja esqueci o que ia dizer hehe)

Não fui ao niver de Sampa but Ritz não estaria lá.

Beijos.

Dani Lee.

bart disse...

Daniel, é esquecer de vez. Cabeça limpinha, zerada.

Fernandinha, já pensou vc esquecer de Ritz e de todas as loucuras feitas a respeito. Acho que sua família e a de Normix pagariam o tratamento.

Veronica, o futuro dos velhinhos? Existe um filme que nem sei se existe em dvd, com Charleston Heston (Moisé, Ben Hur), que se chama Soilent Green. Acho que por aqui se chamou "A última esperança da terra". Lá eles dizem o que acontecerá aos velhinhos. Não vou estragar para quem não assistiu, mas se não existir, por ser antiguinho, eu conto.

Betha, gosto de toda a esquisitice que vc falou, e mais...os que falei eram só exemplos para entenderem o significado. Bom né, assistir estas coisas.

E parece que Vallim é o primeiro voluntário humano a tomar as cápsulas do esquecimento. E não é que dá certo?

Dani Lee também está no programa.

johnny disse...

na verdade, eu queria a droga do "lembramento total"

Edna disse...

Tive aulas de neurofisiologia na faculdade e o cérebro humano é fantástico. Tudo se resume nos neurotransmissores e é um mecanismo tão delicado quanto fundamental.

Isso é o que eu chamo de prazer bizarro. Esses cientistas "ocupados" merecem levar o prêmio IGnóbil. E viva o "Admirável Mundo Novo"!

beijão!