A conversa é mole, mas o papo é firme.

quarta-feira, novembro 15, 2006

À francesa

Os Deuses Franceses do Pop
(Por Claudia Ferrari)
Na Grécia antiga havia 2 deuses muito importantes, que representavam o poder da natureza: Demeter (ou Ceres para os romanos) e Dionísio (ou Baco para os romanos). Assim como os gregos, o pop francês também teve dois deuses fundadores: Françoise Hardy (Demeter) e Serge Gainsbourg (Dionísio).

Françoise Hardy (Paris, 17 de Janeiro de 1944) começou a cantar bem cedo, tinha apenas 17 anos. Sempre acompanhada do seu violão, conquistou os franceses (e o resto do mundo) com seu jeito meio triste e tímido de cantar. Durante os anos 60 Françoise Hardy conheceu o seu auge, tendo até mesmo participado de filmes (“Grand Prix” e “What’s New, Pussycat”, entre outros).

Françoise cresceu com a irmã, Michèle, e a mãe num pequeno apartamento em Paris. Quando terminou o ensino secundário, o seu pai ofereceu-lhe um violão e Françoise(até parece a história de alguém que conhecemos) começou a compor canções. A sua mãe estimulou-a a ingressar na universidade e ela matriculou-se na Faculdade de Ciências Políticas na Sorbonne, tendo depois mudado para Letras. No entanto, não chegou a concluir nenhum curso, descobrindo na música a sua vocação(como a história se repete).

Em 1961, com apenas dezessete anos, assinou um contrato com a editora discográfica "Vogue". No ano seguinte Françoise alcançou grande sucesso internacional com a canção "Tous les garçons et les filles" (mais de dois milhões de cópias vendidas), à qual continua associada até hoje.

Por esta altura Françoise conheceu o fotógrafo Jean-Marie Périer, com quem manteve uma relação amorosa até 1967.

Em 1967 iniciou uma relação sentimental com o músico Jacques Dutronc, o seu parceiro até hoje, com o qual teve um filho, Thom, em 1973.

Em 1971 lançou o disco "La question", resultado de uma colaboração estreita com a cantora brasileira Tuca(ja falecida. Era bem gordinha, e parece que teve complicações em um regime, e se foi, se não me engano).

Em 1988 Françoise anunciou que se retiraria do mundo da música e lançou aquele que supostamente seria o seu último disco, "Décalages". Apesar da sua intenção, a retirada não se verificou e em 1993 gravou um dueto com Alain Lubrano, "Si ça fait mal", uma canção sobre o vírus da aids. (no primeiro mundo pode-se até ameaçar abandonar a carreira. Por aqui tem que malhar até à porta do cemitério)

Dois anos depois assinou um contrato com a editora Virgin e em 1996 lança o álbum "Le danger".
Françoise Hardy regressou ao mundo dos discos em Novembro de 2004 com a edição de "Tant des belles choses", aclamado pela crítica.

O que Ritz me disse de Françoise: "Depois que percebi que não tinha o corpinho de bb(Brigitte Bardot, crianças), passei a clonar françoise, que era magricelaça...silvie vartan era sua grande rival, portanto nunca fui com a cara dela...só do marido(Johnny Halliday), que era fã de james dean...outro dia vi hardy no euro channel e continua princesa..."

Aproveitando que Ritz falou de Halliday, que é cantor famoso na França, ele e a mulher estiveram no Rio para um show, nos anos 1970, e foram visitar Roberto Carlos, no auge do sucesso. Vartan era muito bonita, e gostava de fazer charme para enciumar o marido. Robertão já foi se engraçando. Na hora da foto, ia ficando Vartan no meio, o marido de um lado, RC do outro. Haliday sacou o lance, deu um chega pra lá no Emoções, e a foto acabou ficando com Halliday no meio, e a mulher protegidinha na ponta. Isto está num livro escrito pelo mordomo do Roberto, o Nicholas. O livro foi proibido e recolhido das livrarias. Escaparam poucos exemplares, e conseguí um deles.

Isso aí é só para conhecer um pouco da história do outro lado da moeda da música pop francesa. Logo falaremos de Gainsbourg. Ritz já estava antenada nisso tudo quando eles aconteciam no mundo. Acho muito bom esta fugida do domínio da língua inglesa.
Hardy não era auto-destrutiva como Gainsbourg, por isso não ser assim tão cultuada, mas é muito importante.
Um tempinho atrás, me pediram para dar um recado para a Rita gravar um dia o "Tous le garçons". Ao menos vai aí um clip de época para quem conhece lembrar, e para quem não, conhecer. E fica o convite da gravação, claro.




Françoise Hardy - Tous les garçons et les filles

Esta música se chama "Ce Petit Couer" e é legal para ver Hardy em ação num daqueles programas típicos dos anos 1960. E também para ver como funcionavam as músicas pop curtinhas. Esta tem 1:30.



Françoise Hardy - Ce Petit Couer - 1964

Esta é para ver La Hardy encarando a idade. Ficou bonitinha, e aqui canta com o marido,num clip caretésimo. O cara é meio Fábio Jr., não é não? Ou os dois fazem um Jane e Herondy toujours l'amour. Mas prestem atenção na sonoridade do frances. Dizem que é a língua do amor. Ritz foi educada em escola francesa e se vira bem no idioma baudeleiriano ou proustiano, tanto faz. Imaginem La Rúbia fazendo o biquinho pra falar.

Françoise Hardy - Puisque Vous Partez en Voyage

7 comentários:

Norma Leema disse...

Repórter Bart Esso:

A primeira música que escutei de Françoise Hardy foi justamente "La question", a qual foi tema da personagem de Sônia Braga, na novela global "Selva de Pedra", de 1973.
Sempre gostei de francês e estudei por quatro anos na Aliança Francesa. Claro que meu biquinho não chega aos pés do das Musas Hardy e Lee, mais, c'est ne pas mal, je pense...

Beijos, bom feriado! (Bom feriado droga nenhuma, foi por causa da Proclamação da República que o avô Cícero, de Rita, debandou pra São Paulo. Humpf!)

dino disse...

áhhhhh q delícia...
fadas existem, e são foda!!!
abç

fernanda lee disse...

Eheheheh .. em pleno 15 de nov ter uma aula de música francesa não é nada mal ... E a Ruiva, uma brasileiríssima que fala francês bate em qualquer uma gringa ... brasileira .. etc e tal ... de bb a fh ...

Françoise tem uma sonoridade delicada ... um jeitinho bom ..

thankx bart ..

bjos e descansos ....
f lee...


ps : assopros virtuais La Rúbia .

rubinhow disse...

Um dia ainda conhecerei a frança... já vou começar a testar o biquinho...
hehehe
abs, sir Bart!!!

Deborah lee disse...

hunhun acho o frances lindo de morrer... sempre fui louca para aprender...
ano que vem vou fazer de tudo pra entrar no curso...

beijxos leendos para todos

Pituco disse...

como,é bom mi française...ulalá!...namaste

Edna disse...

tive aulas de francês na 5ª e 6ª série, mas era escola pública.. achava muito difícil.. acho que terei que relembrar "como era bom o meu francês"..
bjão