A conversa é mole, mas o papo é firme.

domingo, outubro 29, 2006

O que uma mulata tem que a outra não tem?

Como já é sabido, segundão de amenidades, mas nem tanto.

Depois de muita onda, Ritz no famplástico. Para os discípulos, sem grande novidades. Só não gostei de uma coisinha. O negócio das drogas ficou meio mal explicado. As drogas que ela estava utilizando, são as lícitas, vendidas em qualquer farmácia. Ficou parecendo que estava cheirando, se aplicando, tomando ácido. Sei que não. E assim sendo, muitos dos que vão criticar, vivem entupidos dos prozac/lexotans da vida.

E citando o saudoso Leonel Brizola: "Vamos engolir o sapo barbudo"...novamente.

Elza soares é uma nega muito doida, que canta demais, tem 69 anos e vive a duras penas por conta do preconceito que no geral as pessoas tem contra ela.
Não sei os números exatos, mas na década de 1960, ela foi pivô de um grande escândalo. Um dos maiores astros do futebol brasileiro, Garrinha, abandonou uma família de muitos filhos com a mulher com quem se casou, mas também um monte de outros em vários casos que teve pelo mundo todo, quando viajava jogando futebol. Ele largou tudo e foi morar com Elza, que tinha um jeito de cantar bem rouco, e diferente de tudo que se ouvía normalmente em rádios. A carreira dela ia muito bem, principalmente com a música "Se acaso você chegasse", e também "Edmundo", que era versão de "In the Mood".
Os improvisos vocais dela nas gravações eram estonteantes.
Mas ela foi vítima da Tradicional Família Brasileira, em época que mulher desquitada (divórcio nem pensar, pois não existia) era totalmente deserdada pela sociedade. E ela era tida como desmancha-família, seduzindo o jogador.
Levaram paulada de todo lado, diziam que antes de cantar ela era prostituta, e daí pra baixo. Nunca conseguiram viver a vida deles direito. Garrincha se afundou no alcoolismo e acabou num miserê danado. Morreu cedo. Elza nunca conseguiu fazer o sucesso merecido. Garrincha faria aniversário neste sábado passado, 28 de outubro. Nasceu em 1933.

Rita simpatiza muito com Elza, e ameaçam, mas nunca conseguiram fazer um trabalho bem legal juntas.
Algumas fotos do Elzão ( que por enquanto estão pequenas, mas que espero mais tarde o Rafa consiga corrigir)




Elza tem um jeitão Tina Turner, também. A única diferença é que La Turner apanhou da vida (e do marido, principalmente), mas acabou se dando bem, com a ajuda dos amigos. Já Dona Elza....



Olha a Sensualidade da mulata




E aqui com o amor da vida dela, que tanta encrenca gerou



Um dia Rita homenageou Elza no Saia Justa, e esta é a foto da Zeleegada (quem mandou, dá aquela lembrada)



Uma Elza Soares da hora, no estilo, é a Beyonce. Ela veio de um grupo de 3 mulatas de cair o queixo do Sargentelli, chamado Destiny's Child. Acho que o destino da criança já foi selado, pois difícil Beyonce deixar sua carreira solo e voltar para o grupo. Beyonce já tem a cara até em alguns filmes meio bobocas. A mulher canta muito, é uma mulata belíssima,e apesar de toda a grana envolvida, toda a produção, todo o sucesso, olha como os gringos tem mau gôsto. Esta é uma das fotos do encarte do recente disco dela. É uma pior que a outra. Enquanto isso, Elza Soares continua pastando, mesmo sendo uma mulatona de lei, cantando muito. Fazer o que?

4 comentários:

norma leema disse...

É fantástico... editam mal a entrevista que já completou quase dois meses. E dão aquela pitada sensacionalista na receita, sem identificar a que tipo de drogas ela se referia. Remédios indicados por médicos, como há as bebidas aceitas por todos - são drogas potentes, que criam dependências até piores do que as ilícitas.
Quando o Fantástico estréiou, em 73, ele sempre terminava com uma entrevista com os deuses da medicina falando suas "verdades" e empurrando suas bulas pra gente. O show da vida. Tá...
Ainda bem que, pelo menos, agora, deixaram o melhor da noite para o final: a entrevista com ela foi ao ar depois das onze!
Viva a Rita, que tira tudo de letra, até as provocações... instigada pelo inteligentíssimo comentário que fez sobre o revival dos Mutantes - os velhinhos querendo grana pro geriatra - finaliza, moleca: "Geriatras, me aguardem".
Não é maravilhosa??? I love you...

fernanda lee disse...

Ela é fantástica e não se fala mais nisso ... a rede "bobo" dá umas foras ... e outras ... e mais outras ...

Eu adoro quando Rita dá sua opinião sobre rodeio .. Eu odeio tanto rodeios e Ela sempre com postura e sinceridades sempre fala a verdade do que acontece naqueles espetáculos desumanos ...

Com um humor Ela encheu o domingo com toda a graça ... já se passava das 11 mais como o dia foi o menos produtivo possível .. sempre salvando ...

Viva Rita ... viva Ziza ... viva ...
Geriatras a aguardem ... ahahahahahahahahahahaaahaah

bjos e bençãos ..
f..lee

PS - Amei a Elza "bom ares" ....,

Leandro Vallim disse...

Realmente aquela entrevista do fantático ficou num vazio.
Esse quadro do fantástitica é assim mesmo, senssacionalista/ibope. É Lobão, é Fagner, é Caê,...
Enfim...
Elza Soares realmente não tem o lugar ao sol merecido na música, enquanto reinam esses pagodes chinfrins e funks proibidos (principalmente no Rio).
Aconselho a leitura da biografia da Elza, chamada "cantando prá não enlouquecer".
Pesada a leitura, momentos muito down, muito roda-gigante.
Lembro-me num show da Elza chamado "Vivo Feliz", dum disco se não me engano de 2003, onde a Negra autêntica colocou "ôrra meu" em seu set-list.
E até que ficou bacana na voz rasgante da mulata, com aqueles super improvisos roucos.
E eu gostaria de ver esse encontro.
Seria legal.
Esse zeleeg quem enviou foi eu mermu, mermão - com sotaque carioquês.
Abraços.

Norma Leema disse...

Sobre Elzinha, bela homenagem... a moça que foi, aos 13 anos, cantar no Programa do Ary Barroso, vestida com alfinetes para salvar o filho da fome.
E, no ensaio, subiram o tom pra avacalhar e ela subiu o tom da voz.
E na hora de cantar, todos riram dela, mas só até o momento em que ela cantou. E o Ary disse, quando ela acabou: "Nasce uma estrela" e ela ficou procurando a estrela que nascia.
É isso aí, Lee Andro, a Elza merecia mais na terra de Verônicas Costas, a "mãe loura"...