A conversa é mole, mas o papo é firme.

segunda-feira, março 26, 2007

O rei da malandragem

Antes de concluir uma história que venho contando aquí, vamos aproveitar e dar uma viajada até o mundo do rei do rock, mr. Elvis Presley.

Contando a história dêle, vai dar pra entender melhor um próximo post. Na verdade o que vamos contar é o que a história não conta, ou seja, você não encontra em nenhuma bio por melhor que seja, pois geralmente ninguém põe o dêle na reta, pois nunca sabe no que isso pode dar.

Todo mundo sabe, mas vamos resumir: Elvis apareceu na metade da década de 1950, e têve uma carreira meteórica. Não ficou ralando um tempão, como aconteceu e acontece com muita gente que depois virou famosa. Era um caipirão que morava em Memphis, Tennesee, que sem saber pegou a música dos negros que não podia ser ouvida na casa dos brancos, e pegou carona juntamente num veículo que estava surgindo, a tv, que na época praticamente repetia os programas de rádio só que com imagens.

Sem nem saber direito o que estava fazendo, aliás, só pensava em ficar famoso e ganhar dinheiro, mas não tinha noção do processo em sí, Elvis foi lançado por um pequeno sêlo, Sun Records, e em seis mêses era um fenômeno, muito por conta de suas performances televisivas. Nem precisa dizer que os tubarões apareceram para tirá-lo do pequeno sêlo e do esquema empresarial em que estava.

Aí surge o Coronel Tom Parker, que de coronel não tinha nada, mas era um picareta carudo, que convenceu a mãe de Elvis que devia empresariá-lo. Elvis passou, por 25% de tudo que ganhava, a servir o pretendente. Mérito seja dado, e o cara levou Elvis ao tôpo.

Agora ao que a história não conta: por divulgar a música negra, inclusive gospel e principalmente o rock'n'roll, e por ter uma performance tida como erótica para a época, as tais "forças ocultas" gostariam muito de ver Elvis fora de circulação.
Foi então que aconteceu o inacreditável. No auge do auge, o coronel convenceu Elvis a se alistar no exército e sair de circulação por 2 anos, servindo na Alemanha. A carreira nunca mais se recuperou depois disso, e abriu todas as portas para que os Beatles conquistassem a América, que estava sem um ídolo musical.
Nenhum empresário em sã consciência tiraria seu pupilo de circulação no ápice. Ninguém conta como foi a armação ou pressões sofridas para que houvesse a tal convocação, mas o tal Parker armou feio. Elvis nunca deixou de ganhar dinheiro, mas em sua volta passou a fazer filmes medíocres, com trilhas sonoras insípidas e não fêz mais shows. Com toda a fama que tinha, nunca fêz um show fora dos USA. Só conheceu a Alemanha porque serviu por lá.

O efeito disso tudo é que entrou num emaranhado de substâncias químicas, e morreu aos 42 anos de idade.

Contei tudo isso para mostra a força de alguém que fica nos bastidores, e os fãs acham que quem tomou as rédeas foi o astro de que gostam. Tomando o exemplo de Tom Parker, irei falar em breve de Guilherme Araújo, infelizmente falecido na semana passada, e que era o empresário do tropicalismo. E é claro que vamos falar de histórias que a história jamais irá contar.

14 comentários:

Dani Lee disse...

Elvis foi um mito e tanto...até hoje arrasa naqueles finais de festa, não apenas nos finais de festa mas tambem no meio, começo, enfim...toca até hoje.

É uma pena que Elvis tenha acabado como acabou.


Beijos e amaços ;)


Dani Lee

Normitz Leema disse...

Histórias que a história não conta? Oba!!! Adorei essa... bom título pra livro, heim Bart?
Realmente, o Elvis da sessão tarde, daqueles filminhos sem graça, é pra leão. Ele é muito maior do que aquilo e lembro que quando morreu - 1977 - eu tinha 13 anos e uma amiguinha da escola virou fã dele, pra você ver que o verdadeiro artista atinge a todas as idades, em quaisquer épocas...
Putz, acabei de ver (e gravar) o Programa que a MTV passou sobre a Rita, que m., só pro teu conhecimento Bartô, começou assim: "Rita, você não teve uma biografia publicada, mas nós fizemos uma pra você..."
Preciso escrever mais??? Aff...

rubinho disse...

Foda, bartz!!!
ME diga quem é seu agente 007...

Dani Lee disse...

NEM PISQUEI NO PROGRAMA DA MTV.
AI QUE SAUDADE DELAAAAAAAAAA!!!!

Daniel Vieira disse...

Fala ai Dani

programa da MTV

perffeito

reprisou og


show

a Rita é tudo neh


hehe

não sabia desta do Elvis.. ah tb num gosto muito dele.. mas dos Beats...


sim sim

hehe




ate mais bart

e conte-nos mais sobre ...

Normitz once more disse...

A única coisa que prestou foram as imagens de arquivo da Rita, porque o texto do programa de ontem estava uma droga!

fernanda lee disse...

histórias em "of".. !! são as melhores ...

.. salve grande Elvis ..
.. salve o Rockkkkkkkkkkkk


.. salve Ritz ..

e alguém ai me salva por favor !!
ehehe

bitz
fefetz

Veronica disse...

Nao achei o programa tao ruim assim...meia hr soh nao tinha como contar muita coisa....o melhor foi falar q a rita foi expulsa pq quiseram afrescurar os Mutantes...

Normitz Leema disse...

Verônica, não pode ser bom um programa que tem por texto o seguinte:
"problemas, prisõeS, drogas..." - que eu aiba, foi uma só...
"Com a memória queimada, fumada e engolida, nos seus 40 anos de carreira, Rita passou 30 enxergando tudo mais ou menos assim. De tanto ver o mundo mais colorido, Rita acabaou vendo o sol nascer quadrado"
E por aí vai... o que as pessoas entenderam, naquele programa, meu bem, é que ela é drogada, mas é legal.
Inclusive há informações erradas sobre muitas coisas e eu já preparei um texto pra mandar pra lá, porque mesmo com alguma redação mais simpática, o que salvou aquela merda foram as imagens de arquivo com a fala da própria Rita, descontextualizadas.
Começam dizendo que vão fazer uma biografia dela porque ela não quer escrever uma já que não tem memória. Além de não citarem a do Bart (eles foram entrevistados pela MTV sobre o Rita Lee mora ao lado), dão uma bela sacaneada ao associar uma declaração que ela deu ao Beto Lee em 2004 de que biografia era coisa pra depois que se morre, com a abertura do programa e conclusão sobre as drogas.
É sempre aquele papinho de escoteriro, como se na MTV só tivesse santo.
Não sei como quem ama a Rita pode gostar de um programa daquele... eu ja mandei e vou mandar mais cem e-mails pra lá reclamando, quem quiser que me siga.
mtvmais@mtv.com.br

Amanda disse...

Já mandei o meu também.
Achei uma bosta.

Verônica disse...

Norma, esse programa é sempre assim msm...é ironico, debochado, eles cutucam todo mundo...nao é pra ser levado tao a sério...Essa semana é uma homenagem as grandes mulheres, se eles nao a admirassem nem fariam o programa...ainda mais sendo a primeira da semana classificando-a como a melhor...
A intencao foi de nao ser nada serio pra nao ficar chato...é a MTV...é tosquice msm...garanto q muita gente descobriu a Rita segunda-feira...
:-)

Normitz disse...

Nossa, não me faça rir Verônica... eu sei o que é uma ironia e isso não foi feito nesse programa, ele foi maldoso e com informações erradas.
E desde quando seriedade com um artista faz com que um programa se torne chato? Só se for na sua cabeça.
Se a proposta é brincar, Rita sempre brincou de modo muito mais inteligente, mas pegar essa questão da droga aliada à falta de informação sobre ela...
Os caras disseram lá que ela saiu dos Mutantes para o Fruto Proibido, cadê Cilibrinas, cadê Atrás do porto...? (Ah, tá, vai ficar chato ser didático, dá um tempo né minha filha?)
Faz assim, vamos aprender a brincar com a Rita, que nunca quis ensinar nada e sempre deu um banho de inteligência e elegância em todo mundo.

josie disse...

eu acho que a norminha ta certa sim e mandei meu e-mail tambem leio sempre os blogs dela e do bart e o que eles falam da rita e muito bom e diferente do que aquele programa falou eu tenho 16 anos mas nao sou idiota

Denise disse...

Parabéns, Bart, pela iniciativa de tocar em assuntos tão delicados como este!

Beijo!