A conversa é mole, mas o papo é firme.

quinta-feira, setembro 28, 2006

Difícil de acreditar

Esta é briga de gente grande, e só acredito vendo. Queridos caros e caras de Sampa. A Câmara de Vereadores daí aprovou uma lei que proíbe praticamente toda a propaganda externa. Outdoors, faixas, anúncios luminosos, aquelas propagandas enormes em fachadas de prédios, banners, cartazes com anúncio de liquidações em vitrines, anúncio em dirigível ou aviação, propaganda em carros, bicicletas, carretas ou trailers. Só fica permitido ao comercio veicular o nome da empresa na frente do estabelecimento e com tamanho proporcional ao tamanho do estabelecimento.
A votação foi massiva. 45 votos contra 1. Lógico que o um é publicitário.Quem levantou a bandeira foi o tal Kassab, o prefeito que veio do frio.
A lei, aprovada dia 26/09/06 era para ser cumprida em um mês, mas acabou sendo extendida até o final do ano. Retirada total.
Já imaginaram Sampa sem toda aquela poluição? Já sentiram como melhorou sem aqueles políticos exigindo nossos votos e nos olhando com aquelas falsas caras sorridentes de "me dá um dinheiro aí", de cima dos outdoors?.
Tenho cá comigo que como sonho é uma maravilha, e poderia se espalhar por todos os lugares, tendo um exemplo do tamanho de São Paulo. A multa mínima para quem descumprir é de R$10.000,00.
Mas não adianta se iludir muito, pois agora deve chover um milhão de ações dos poderosos para barrar a lei. Agências de propaganda perdem muito com isso e são poderosas. Tem muita grana envolvida.
Vamos ficar de olho para ver no que dá, quem ganha a queda de braço. Sonhar não custa nada.

A gente fica por aqui com Rita pra cá, Rita pra lá, e fico imaginando a santa paciência para agüentar os pedidos de fotos que devem aparecer até com o garfo na bôca, dentro de banheiros de boteco, no meio do malho com o namorado. Aliás, nessas de malho com namorado, acho que Cicarelli ganhou o prêmio marketing do século. Vovó Ritinha estava me alertando sôbre como ela fica olhando para os lados do paparazzi, como se soubesse que estava em foco. Tadinho do moço, foi usado. Ao menos deu uminha de consôlo. Caetano Veloso deve ter morrido de inveja de tamanha sacada. E tome sacada. Mas voltando, não só a Rita, mas todas as celebridades são mesmo caçadas o tempo inteiro. Olha só o nome do site em que voce pode colocar sua foto/troféu:
www.celebsafari.com . Safari. É caça mesmo. O bom é ver algumas caras de saco cheio da caça em oposição ao sorriso do caçador.

E uma frase no "The New Yorker" que é genial. Comentando um filme, um crítico disse que o filme era superficial, mas tinha uma maravilhosa superfície. Isso é que é morder e soprar. Dá para usar em diversas situações, e ainda dizer que tirou do New Yorker, publicação metidíssima.

Mas aquí no blog, a propaganda não está proibida, ainda.
O filmeco a seguir foi feito no dia 06/06/06, lançamento nacional de RLML, aqui em Ribeirão Preto. É a parte final do pocket show que faço quando possível em lançamentos, com Caetano Bartsch e Camila Zambianchi. Espero que de para entender o papo, pois foi feito com som de câmera. É como o papo com o Nelson Motta. Se o computo tiver umas caixas legaizinhas, dá pra entender, senão fica nhem nhem nhem.

Um comentário:

Norma Lima disse...

Bartsch querido,
Acho um horror essa invasão paparazzi, e também abomino esse povo que fica perseguindo os artistas pra ganhar dim dim, gente, isso é de uma pobreza sem par.
Mesmo os que admiram o artista, sem querer ganhar tutu com isso, precisam respeitá-lo, prestigiando-o, mas sabendo o seu lugar, sem ser inconveniente. É o famoso o seu direito termina no do outro... Pelo que já andei vendo por aí, deveria existir o Manual do fã.
Quem se habilita a escrever? Hehe...
Beijos Bart brilhante (versinho simbolista).